— EVENTOS

Sustentabilidade financeira de corpos artísticos

Sustentabilidade financeira de corpos artísticos



O Fórum Sustentabilidade Financeira de Corpos Artísticos  é um evento organizado pela Orquestra Sinfônica da Unicamp (OSU- CIDDIC) destinado à atualização de pessoas vinculadas a orquestras sinfônicas ou instituições relacionadas da região sul e sudeste do Brasil, no que se refere a questões de planejamento artístico e administrativo. Esta edição será dedicada às questões de sustentabilidade financeira dos corpos artísticos, incluindo discussões sobre modelos de atuação e financiamento referentes a atividades artísticas e culturais vizinhas, como, por exemplo, nas artes plásticas. Desta maneira, o fórum amplia seu caráter interdisciplinar e propõe palestras e discussões sobre ferramentas que auxiliam na prospecção de recursos para projetos culturais de diferentes iniciativas, impulsionando ideias de financiamento no setor da música sinfônica.



Evento

Sustentabilidade financeira de corpos artísticos

Detalhes do evento

Data do evento: 31/10/2018

Período de inscrição: 01/10/2018 a 30/10/2018

Vagas: 840

Evento: GRATUITO

Local:  Auditório do Centro de Convenções da UNICAMP.

Data: 31/10 quarta-feira 

Organização: Cinthia Alireti, regente da Orquestra Sinfônica da Unicamp.

Programação

Manhã

8h30 – Credenciamento

9h – Abertura

9h30 – Palestra: Estratégias e Benefícios da Curadoria nas Artes Plásticas
As artes plásticas têm disponíveis há muito tempo um vasto ferramental de curadoria que ainda não é amplamente usado na música. Este ferramental será apresentado para despertarem ideias em quem está no cotidiano do fazer musical.
Palestrante: Andrés Hernández, curador, artista plástico e doutorando no Instituto de Artes da UNICAMP em Artes Visuais.

10h30 – Coffee break

11h – Mesa: A curadoria como ferramenta de financiamento cultural Debatedores: Andrés Hernández; Thaís Nicolau (Idealizadora do Festival de Música Contemporânea Brasileira e foi curadora do Programa de Música Contemporânea do Instituto CPFL); Lygia Eluf (Professora Titular do Instituto de Artes da UNICAMP); Mediador: Danilo Ávila (doutorando em História pela UNESP-Franca, editor do site Música e Sociedade e membro do site Sussurro/Musicon).

12h–14h – Almoço

Tarde

14h – Palestra: Financiamento cultural – panorama histórico e tendências atuais
O financiamento das instituições  e iniciativas culturais, fator estruturante dos processos de gestão, tem passado por amplas transformações no âmbito público quanto privado. Será abordado o contexto histórico e a atualidade do financiamento com tendências e modelos inovadores de sustentabilidade econômica.
Palestrante: Luiz Coradazzi (Gestor cultural, foi diretor de artes British Council no Brasil e diretor executivo da Orquestra Municipal de Campinas).

15h20 – Coffee break

15h40 – Mesa: Estratégias de financiamento cultural  Debatedores: Luiz Coradazzi; Douglas Nicolau (Administrador especializado em Marketing, e Idealizador e CEO da Incentiv) e Rosana Caramaschi (Diretora de Formação do Theatro Municipal de São Paulo); Mediador: Guilherme Kawakami (executivo financeiro do Ciddic).

16h40 – Encerramento: Dr.ª Cinthia Alireti – regente da Orquestra Sinfônica da Unicamp.

 

Convidados

Andrés I. M. Hernández

Detalhe obra Paulo Vivacqua
Doutorando no Instituto de Arte da UNICAMP e mestre em Teoria, Crítica e Produção em Artes Visuais. Foi coordenador de exposições na Bienal de Havana coordenador-executivo do departamento de curadoria do Museu Arte Moderna de São Paulo MAM-SP (2005 – 2010) e coordenador de projetos da Luciana Brito Galeria, além de membro do Conselho Consultivo de Arte do MAMAM (Museu de Arte Moderna Aloísio Magalhães) em Recife (2009 – 2013) e do CIMAM. Convidado ao 30º Congresso da ANPAP. Como artista atuou na performance El cuerpo del silencio, de Tania Bruguera, Ateliê da artista (Havana – Cuba, 1998). Também participou da performance Tatuagem Dimensional, da artista Laura Lima/Galeria Casa Triângulo (ArcoMadrid – Madri, 1999) e ainda na performance Respiração Mais, dos Irmãos Guimarães (Mouson – Frankfurt, em 2013). Atualmente é curador e sócio-diretor do SUBSOLO Laboratório de Arte em Campinas.

Danilo Ávila

Doutorando em História pela UNESP-Franca, editor do site Música e Sociedade e membro do site Sussurro/Musicon

 

Luiz Coradazzi

Gestor cultural, foi diretor de artes British Council no Brasil e diretor executivo da Orquestra Municipal de Campinas.

Luiz Coradazzi é graduado em Comunicação e Marketing pela ESPM, possui MBA em Gestão Executiva pela UFRJ, Mestrado em Gestão de Negócios da Música pela Universidade de Westminster (Londres) e Especialização em Gestão e Políticas Culturais (Universidade de Girona/Itaú Cultural). Atua há 20 anos como gestor no setor cultural, tendo colaborado com projetos e organizações como TV Cultura, Instituto Baccarelli, OSESP, Time 4 Fun e Orquestra Sinfônica de Campinas, entre outras. Entre 2011 e 2017, foi Diretor de Artes do British Council Brasil, onde implementou a plataforma de relações culturais Transform, que atingiu 2,8 milhões de pessoas. Entre os principais projetos do Transform, liderou a criação e curadoria do Transform Orchestra Leadership, voltado ao desenvolvimento de redes e capacidades de gestão no setor orquestral. Foi membro do Conselho Executivo da ISPA (International Society for the Performing Arts) e da Comissão de Avaliação das Organizações Sociais da Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo. Atualmente atua como consultor e estrategista independente para instituições como Theatro Municipal de São Paulo, Consulado dos Países Baixos e Instituto Goethe.

Rosana Caramaschi

Diretoria de formação do Theatro Municipal de São Paulo

Rosana Caramaschi, pós-graduada em Arte, Crítica e Curadoria pela Pontifícia Universidade Católica. Sua formação é multidisciplinar, inclusive com MBA em Economia da Cultura. Produziu espetáculos de música popular e erudita, vídeos, exposições, e, desde 1990 produz espetáculos de ópera e de teatro no Brasil e no Exterior. É cocriadora do Festival Amazonas de Ópera; do Festival de Ópera do Theatro da Paz. Produziu mais de 80 espetáculos de ópera, mais de 15 peças de teatro. Criou e dirigiu o Concurso Internacional de Canto Bidu Sayão durante 11 anos. Cocriou a Companhia de Ópera Curta onde é diretora artística. No Museu da Imagem e do Som de São Paulo realiza, como historiadora, na área de acervo, uma série de entrevistas com os principais nomes da música erudita e popular do Brasil desde 2011. À frente da Companhia de Ópera Curta, desde 2009, apresentou os espetáculos Carmen, La Traviata, La Bohème, Madame Butterfly e Barbeiro de Sevilha para mais de 140 mil espectadores em mais 80 cidades do Estado de São Paulo. Em 2017, foi diretora artística de Produção do Theatro São Pedro. Atualmente, é diretora de Formação e Produção da Fundação do Theatro Municipal de São Paulo.

Thais Nicolau

Thais é professora efetiva da Universidade do Estado de Santa Catarina e atua como diretora artística e curadora nos principais projetos do Grupo Sintonize, destacando-se o Festival de Música Contemporânea Brasileira, Festival de Música Contemporânea Brasileira Edino Krieger e Série Contemporânea realizada no Instituto CPFL. Especialista em projetos via leis de incentivo fiscais, há 7 anos atua na elaboração e consultoria no processo de enquadramento e aprovação de projetos nas leis e instituições de fomento, promovendo o crescimento de responsabilidade social, pesquisa e desenvolvimento, estudos na área de tecnologia, ciência e análise de dados. Cofundadora da Incentiv.me, start-up que utiliza tecnologia para captar recursos para projeto aprovados nas leis de incentivo fiscal e que apresentam alto impacto social, atua como COO e coordena as equipes de captação de projetos, auditoria e compliance.

 

Cinthia Alireti

Regente titular e Codiretora Artística, desde 2012, da Orquestra Sinfônica da Unicamp. Idealizadora e Curadora do Fórum Gestão Orquestral e Compromisso Social (criado em 2015 e organizado pelo CIDDIC/Unicamp). Idealizadora e Coordenadora do projeto Identidade, Música e Arquitetura (criado em 2016 em Campinas, contou com apoio do Instituto dos Arquitetos do Brasil e Direção da compositora Denise Garcia). Como musicóloga, realiza edições críticas de óperas barrocas em apresentações ao vivo, transmissões pela RAI e registros em CD para o Festival della Valle d’Itria na Itália. Formou-se Bacharel em Composição Musical (Universidade de São Paulo) e em Publicidade e Propaganda (Faculdade Armando Alvares Penteado), Mestre e Doutora em Regência Coral e Orquestral em música antiga (Universidade de Indiana em Bloomington nos EUA) e Mestre em Musicologia (Université de Paris IV-Sorbonne e Universität des Saarlandes, em Saarbrücken).